fbpx

Engrossantes do Bem

Engrossantes do Bem

Por que engrossar o leite?

O hábito de “engrossar o leite” é muito mais cultural do que uma verdadeira necessidade. Os motivos mais comuns: 

1. Mãe convencida de que o seu leite é fraco. 
2. Tentativa de saciar o bebê por mais tempo (principalmente pra que ele durma melhor a noite). 
3. Engordar a criança. 

Sobre cada um:

1. Repita comigo: “não existe leite materno fraco”. E caso você tenha problemas (de verdade) com a produção de leite, existem alternativas adequadas para o bebê que devem ser indicadas pelo profissional que acompanha ele e, com certeza, não são as farinhas industrializadas e açucaradas.

2. Existem alternativas saudáveis que ajudam a prolongar a sensação de saciedade.

3. Há uns 20 anos mais ou menos, a desnutrição era um problema no Brasil e por isso, frequentemente, profissionais prescreviam engrossantes para as crianças. Isso explica o fato desse conselho ser mais comum entre os mais antigos. Mas hoje o problema de saúde pública é a obesidade/sobrepeso desde a infância. Então é mais do que urgente nós, mamães, repensarmos os hábitos alimentares da família e principalmente dos nossos pequenos que são ainda mais frágeis.

Principalmente na fase inicial da Introdução Alimentar, o mais importante é a qualidade e não a quantidade, até porque a ideia é que a amamentação continue. Sendo assim, a não ser que a criança esteja abaixo do peso (de verdade, e não de acordo com o critério dos “pitaqueiros de plantão”), sem crescer, com deficiência de nutrientes ou sem se desenvolver, não há com o que se angustiar.

Engordar não é difícil para a maioria das pessoas. As comidas nocivas inclusive são as que mais engordam. Fuja das farinhas engrossantes industrializadas. Elas são cheias de aditivos químicos e um altíssimo teor de açúcar. No momento parece ótimo, é gostosinho, a criança parece alimentada, mas… Essa conta chega cedo ou tarde. Leia os rótulos e verá quanto açúcar e substâncias químicas artificiais contém em um punhadinho dessas farinhas.

Muitas vezes, os fabricantes nem esclarecem direito quais são as substâncias artificiais que contém no produto e isso não é por acaso, você se assustaria se lesse um pouquinho sobre esses aditivos. Portanto, fuja dessas alternativas que são furadas. As propagandas são fofinhas, as embalagens são um amor, mas o conteúdo é perigoso. O negócio é adicionar nutrientes e hábitos saudáveis a rotina, e se a intenção é essa, estou com você!

Tem algumas sugestões de farinhas muito saudáveis e naturais:

Amaranto
Alta concentração de fibras alimentares de um tipo facilmente digerido e metabolizado pelo organismo; contém antioxidante, aminoácido, proteínas e minerais como ferro, cálcio, magnésio e fósforo.

Aveia
Alto teor protéico, com proteínas de boa qualidade, gordura poliinsaturada (a boa), vitaminas, minerais como cálcio e ferro e substâncias antioxidantes, bom teor de fibras solúveis (auxiliam no bom funcionamento intestinal e podem ser responsáveis pela diminuição dos níveis de colesterol do organismo). Além disso tudo, também ajuda a proporcionar o prolongamento da sensação de saciedade.

Gergelim
As três variedades (branca, marrom e preta) possuem gorduras poliinsaturadas, como o Ômega-3 e o Ômega-6, auxiliando na manutenção das funções normais do organismo. Também auxilia na redução do nível de colesterol sanguíneo, é rico em nutrientes como as vitaminas E, B1 e B2, os minerais manganês e cálcio, possui proteínas de alto valor biológico (de fácil absorção), além de estimular o sistema imune e ter ação antioxidante.

Quinoa
Possui proteína de alto valor biológico, contém nutrientes como as vitaminas A, B1 e B6 e, em menores quantidades, as vitaminas E e C. É um alimento energético, além de ser rica em alguns minerais, como ferro, fósforo e cálcio. Tem também uma excelente quantidade de fibras e de ácidos graxos Ômega-3 e Ômega-6, gorduras essenciais para o nosso organismo.

Maravilhosas, né? 

E as farinhas industrializadas, têm o quê?

Apesar dos nutrientes indicados nos rótulos, vem junto no pacote, e numa quantidade considerável:

Açúcar

Prejudicial a saúde, contraindicado antes dos 2 anos pelo departamento de Nutrologia da Sociedade Brasileira de Pediatria, caloria vazia, viciante e péssimo aliado na formação de uma rotina saudável de alimentação.

Aromatizantes, conservantes, estabilizantes e acidulantes

Substâncias que podem causar câncer, distúrbios metabólicos e digestivos, além de alergias e, a longo prazo podem comprometer o metabolismo, a digestão entre outras problemas.

Ainda na dúvida sobre qual escolher? 😉

Espero ter ajudado! 

Compartilha com alguém que precisa ver isso. 
Fica coladinha aqui porque nas próximas postagens trago uma receita de mingau e uma receita de vitamina com essas farinhas saudáveis. 


E me conta nos comentários o que mais você quer ver por aqui. 
Um beijo e até a próxima! <3

#introduçãoalimentar #papinhasbebê

Obs.: Essa postagem (e nenhum dos comentários gerados por ela) não têm intenção ou efeito de prescrição, apenas compartilhamento de experiências. Nunca deixe de ser acompanhado/a por um(a) profissional.

Tags: |

Sem saber por onde começar a Introdução Alimentar?

Baixe Gratis o E-book - 7 Dicas de Como Fazer a Introdução Alimentar do Seu Bebê sem Medo!

Nós não enviamos spam. Seu e-mail está seguro!

0 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *